Poesia azul em verde'

Derluh Dantas
Uma poesia tímida me circunda,
Faz carícia e provoca as brisas,
Quer sair e gritar ao mundo...
Quer falar de amigos e suas maravilhas.

É um desejo leve, porém profundo
Deixar a partida e celebrar o reencontro,
Cantando por cada canto
O quão bom é ser amigo, verso e rima.
Pena que o talento me falte,
Infelizmente, passo longe de ser um tipo artista,
Tenho alma e anseio, deveras sinto,
Contudo, não sei pintar de forma digna essa poesia.

Tudo isso provocado por um amigo,
Que pela vida sumiu
Pelo acaso ressurgiu à minha trilha
Falar de boas brisas seria clichê no meu caso
Cantar poesias um risco sutilmente amargo...
Com as palavras que escapam por aqui
Deixo um abraço apertado ao amigo Jon
E em seus braços sorrio ao mundo bom!
Revelando em timidez, que são pobres e sinceras rimas!
Versos de uma noite em que a tristeza surgiu,
E o bom Jon com sua companhia a fez sair de mim! 

Um comentário:

Jon Rodrigues disse...

E o que á vida, senão um palco de reencontros? E com esses reencontros a mistura sensações, sentimentos... É lindo servir de inspiração para uma mente tão brilhante, e um coração tão lindo. Grato, amigo Cajúh.

Santa Pesquisa: